Tag Archives: Rogério Ceni

Coluna do Zanquetta: 2013 está aí…

13 nov

Planejamento Pré Libertadores.

É claro que todos tem fé, acreditam e torcem mas o planejamento do São Paulo tem base em pés no chão com a Pré Libertadores. Para tanto, a apresentação do grupo pode ocorrer antecipadamente no dia 26/12 ou no máximo 02/01. São as datas trabalhadas atualmente.

Ah, tá…mas muda o quê? Muda que o São Paulo já faz esforços para conseguir fechar o elenco até o Natal. E os agentes negociadores, empresários entre outros já tem total ciência. Quem quiser fazer parte, ou é alguém especialíssimo, ou está fora.

Como a espinha já está pronta, tudo será mais fácil. Os jogadores que serão dispensados, emprestados ou negociados, serão avisados logo que os jogos tricolores findarem.

2013 está aí!

Diego Souza, Carlos Eduardo, RG, Taison…quem seria a melhor opção?

Para manter o esquema atual, o ideal a meu ver seria Diego Souza que ainda agregaria força em jogadas aéreas e mais poder de finalização. Carlos Eduardo agregaria demais em velocidade e criação de jogadas pelas pontas como Lucas mas com jogo mais tocado e menos corrido. Faz menos gols, mas cria mais e serve mais. Taison é bem menos efetivo e atua mais como Lucas em velocidade. Já RG que tem propostas fortes principalmente do Fluminense, não deve vir mesmo devido à salário.

JJ prefere Diegrossouza e Ney Franco prefere Carlos Eduardo. Há também Dudu que atua nestes moldes mas inferior ao futebol dos citados acima. Pode contribuir mas não vir para assumir a camisa titular Tricolor no time que promete para 2013.

RC renovou. 

Apesar da gracinha de afirmar que não tinha contrato na mesa na semana passada, RC esta semana renovou com os mesmos termos seu contrato até o final de 2013. É mais um da leva que o SPFC quer pronto para o planejamento da Pré Libertadores estar redondo se não vencermos a Sul Americana.

Sócio Torcedor. 

Esta semana decidiram impedir o ingresso de mais sócios para arrumarem a zona que hoje é o ST do SPFC. Achei ao menos justa a decisão. Estimo melhoras sensíveis ao programa…

Fabrício. 

O lateral esquerdo do Inter é visto como opção no São Paulo mas tem enormes ressalvas. Ele foi do Tricolor e acabou liberado por má conduta no passado. Desde a época de Portuguesa que o Tricolor acompanha o jogador que ainda não renovou com o Inter. Ele atua como segundo volante, lateral e meia. Seria interessante pela polivalência mas só se Cícero saísse do clube. Saiu uma matéria no Lance! que há descontentamento com Corteza. Balela.

Aloísio. 

Até onde soube, o Uram afirmar que há o interesse de dezenas de clubes no atacante foi uma jogada para tentar aumentar o salário do atleta que já foi pautado pelo SPFC. Há um acordo, ele está apalavrado mas com os valores oferecidos por outros clubes, como é normal, o jogador se empolgou um pouco. Eu acho que vem mas o ideal é ter cautela e opções. Além dele, o São Paulo recebeu como oferta o Kieza. Eu ainda prefiro o Aloísio.

Lucca. 

Algumas pessoas reclamaram que o valor de R$ 10 mi de Lucca era absurdo. Eu também acho. Entretanto, a DIS é quem está negociando e em comum acordo com o São Paulo, se confirmando a transação, viria para o Morumbi como o Ganso. 5 anos, mesmos moldes. Talento ele tem. Passará algum tempo ainda se recuperando mas como é quase 0800…

Cicinho. 

Conforme falamos há tempos e mais incisivamente na última coluna, o lateral da Ponte está em conversas avançadas. Ney gosta do jogador pois além de atuar no setor direito e ter características ofensivas e muita velocidade para saída de jogo, pode efetuar a mesma função que Lucas faz como ponta como já fez algumas vezes na Ponte como um meia mais avançado. Algo similar ao que Cuca fazia com Cicinho em alguns jogos em 2004 no São Paulo e Ney tentou fazer com Douglas este ano. Se confirmado, excelente reforço.

Patrocínio Master e Penalty. 

Incrível como tem gente fazendo estardalhaço em cima de nada. Estão comparando nossos valores com os de Palmeiras e Corinthians. Ok. Lembrem-se que nosso patrocínio master é de R$ 25 mi em cash. Independente de título, rebaixamento etc. O Palmeiras, só chega aos R$ 25 mi em caso de títulos e bonificações por desempenho de mídia e futebolístico. O nosso, se compararmos assim, chegaria a R$ 33 milhões.

Mesmo caso da Penalty. Dizem que o Corinthians tem R$ 20 mi da Nike. Como era dito que tínhamos da Reebok. Estes são valores totais. Cash mais investimentos, material esportivo, ações, mídia etc. Tínhamos R$ 12 mi neste formato com a Reebok antes e passamos a R$ 13 mi agora. E, em investimentos, estima-se R$ 10 a R$ 12 mi. Lembrando que são dados não confirmados até que oficialmente o SPFC oficialize. Até lá, não dê ouvidos a quem gosta de brincar com sua paixão para criar factóides, assunto e criticar por criticar.

Cañete. 

Menon, que é um jornalista sério e bem crítico, esteve esta semana com o meia argentino Cañete. Ao contrário do que alguns setoristas “bem” intencionados alegavam, o meia está com uma gana enorme de voltar, atuar e vencer. O jogador tem apoio da família e muita força para que consiga ter sucesso no Tricolor. E agora, me pergunto, setoristas que afirmavam que o jogador era um descompromissado come e dorme? Acho que agora vai…relacionado já foi.

Jean.

Semana rolou um debate sobre o valor do Jean que vendemos parte ao Fluminense e que se pagar mais R$ 3,5 mi, leva o atleta de vez. Ele realmente tem muito preparo, vontade e é voluntarioso. Valeria a pena trazer o Jean de volta? Eu sinceramente, prefiro Denílson. E creio que Fabrício será o titular quando retornar. Mas vemos que Jean num time organizado e bem treinador, rende muito mais que aquele futebol pífio da época de Leão e PCC. O que vocês acham?

Democracia no Inter? 

Nosso leitor, Thiago, trouxe uma informação a respeito de uma cláusula de barreira na participação do voto dos sócios. E ela foi usada para a reeleição de Luigi. Isso é democracia ou fingir que há para ludibriar?

Renê Simões. 

Por desentendimentos com JJ, Renê resolveu deixar o Tricolor. A demissão do treinador do Sub 15 não foi o motivo, foi o estopim. A contratação em baciada na tentativa de renovação do grupo, as cobranças, as propostas de fora, compromissos extras e desentendimentos de gestão encerraram sua passagem. Lamento, mas a vida segue e infelizmente Renê pouco fizera também. Mais aprendeu que contribuiu. Boa sorte.

Ah, para os terroristas de plantão que pela saída de Renê já começaram a tecer teorias conspiratórias e deixar sua mente fértil fluir, calma. Não houve nada assim crucial ou escuso. Lembremos que Renê conseguiu fazer até coisas que não fossem benéficas ao São Paulo como reverter contratos com talentos jovens por ética. Se fez isso, não podemos esquecer achando que tudo são espinhos, como também nem tudo são rosas.

Anúncios

Ceni renova com o São Paulo por mais um ano.

9 nov

Novo vínculo do goleiro é acertado em reunião com diretor de futebol.

Por Marcelo Prado – São Paulo.

A torcida do São Paulo pode ficar tranquila. Não será em 2012 que Rogério Ceni vai se aposentar. Após uma reunião com o diretor de futebol, Adalberto Baptista, ficou definida a renovação de contrato do camisa 1 por mais uma temporada. Havia a grande dúvida se o capitão encerraria a carreira agora no fim do ano, aos 39 anos, ou se defenderia o Tricolor no ano que vem.

– É uma alegria imensa poder seguir contando com o Rogério, um atleta que com toda sua experiência segue no auge da sua forma, além de toda idolatria que causa a nós são-paulinos . Eu diria que esse é nosso primeiro reforço para 2013 – ressaltou Adalberto Baptista, após o acerto, ao site oficial do clube

Rogério Ceni espera só o fim da temporada para dizer que continua.

3 nov

FERNANDO FARO – O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO – O suspense pela renovação de contrato de Rogério Ceni deve terminar em breve. Se nenhuma reviravolta acontecer, o camisa 1 estenderá o vínculo por mais uma temporada e deixará para encerrar a carreira no fim de 2013. Ele mesmo já definiu novembro como o mês em que anunciará sua decisão e espera apenas a reta final da temporada para formalizar o acordo.

Sem um posicionamento objetivo do clube, coube ao próprio capitão esclarecer a situação. “Não existe contrato na mesa, ainda não tive essa conversa com ele (Juvenal Juvêncio, presidente do clube), mas fico feliz pela sinalização do desejo da continuidade. Dinheiro não é problema”, afirmou. Além da possibilidade de disputar a Libertadores ser cada vez maior, o goleiro está encantado com o bom ambiente do grupo neste ano após ter sido um dos maiores críticos do desinteresse do elenco da última temporada. As ótimas atuações também enterraram as dúvidas sobre suas condições físicas e técnicas após a cirurgia no ombro direito que o tirou de ação por seis meses.

Os dirigentes, por sua vez, atribuem a falta de um acordo ao desejo de Rogério em se concentrar nas disputas da Copa Sul-Americana e do Brasileiro e reforçam o discurso de que a decisão está nas mãos do atleta. “Já dissemos publicamente que formalizaremos a proposta na hora em que ele se decidir”, disse o vice de futebol, João Paulo de Jesus Lopes. O dirigente também rebateu os rumores de que a relação entre o jogador e Juvenal estejam desgastadas e que esse é um dos motivos para a demora do acerto. “Nunca houve de nossa parte nenhuma divergência quanto à renovação. O que acontece é que ele não tomou sua decisão, somente isso.”

Apesar do discurso otimista, a demora do mandatário em tomar uma posição tem causado desconforto até mesmo em pessoas próximas a ele. A opinião é de que Juvenal, se quisesse de fato ter a situação sob controle, já teria conversado com Rogério, mas ninguém acredita que o presidente rejeitaria um novo acerto, o que acarretaria comprar uma briga de proporções impensáveis com a torcida. “Estamos falando de um dos pilares do São Paulo. Temos todo interesse”, concluiu Jesus Lopes.

Dessa forma, os são-paulinos estão próximos de ter seu maior ídolo por mais um ano. Da parte de Rogério, a decisão está tomada. Só falta assinar.

Cavalieri reencontra ‘carrasco’ e ídolo Rogério Ceni: “Mudou a posição de goleiro”.

3 nov

Renan Rodrigues
Do UOL, em São Paulo

Além do duelo entre os artilheiros Fred e Luis Fabiano, a partida entre São Paulo e Fluminense, neste domingo, às 17h, no Morumbi, promoverá outro encontro especial para os torcedores. O goleiro Diego Cavalieri, que vive grande fase com o time carioca nesta temporada e passou a ter o nome ‘cobrado’ para a seleção brasileira, e Rogério Ceni, ídolo do time paulista e que também está em bom momento após um começo de ano complicado por conta de uma grave lesão.

Os 11 anos de diferença de idade entre o camisa 12 das Laranjeiras e o número 01 do Morumbi fazem com que Rogério Ceni seja ao mesmo tempo ídolo e carrasco para Diego Cavalieri. Defesas que inspiraram e gols que enervaram o arqueiro revelado nas categorias de base do Palmeiras. Foi inclusive pelo time paulista, atualmente ameçado pelo rebaixamento, que Cavalieri sofreu o primeiro dos dois tentos de Ceni. O gol de pênalti, feito no Paulista de 2007, ainda está na memória.

“Jogamos algumas vezes contra, até quando eu estava começando no Palmeiras ele fez [um gol] de pênalti. É um cara que dispensa comentários, excelente goleiro, excelente profissional. Fora de campo é um cara exemplar também. Precisamos tomar cuidado com faltas perto da área”, alertou Diego Cavalieri.

Para o camisa 12 do Fluminense, a habilidade de Ceni com os pés exigiu que os outros goleiros do futebol brasileiro passassem a também treinar mais reposições e saídas de bola, evitando o habitual ‘chutão’.

“Ele contribuiu muito para a posição de goleiro pela habilidade com os pés, pelo o que faz dentro de campo. Falta ou pênalti é perigoso, pois a gente sabe a qualidade que ele tem batendo na bola. É um a mais que a gente tem que se preocupar porque a qualidade dele é muito grande. É a peça a mais que o time deles tem”, completou o goleiro do Fluminense.

Semelhanças na seleção

Se defenderam rivais paulistas, Cavalieri e Ceni possuem uma semelhança. Nas grandes fases, acabaram não recebendo chances na seleção brasileira. O ídolo são-paulino fez parte do grupo pentacampeão em 2002, mas não entrou em campo nenhuma vez. Disputou 17 partidas pelo Brasil, mas entre 2005 e 2007, nos seus melhores momentos, conviveu com a sombra de Marcos, Dida e Júlio César.

Diego Cavalieri vive a mesma situação atualmente. Apontado por muitos como um dos melhores jogadores do Campeonato Brasileiro, ficou de fora das convocações do técnico Mano Menezes, que tem optado por Jefferson, do Botafogo. Porém, a postura tranquila, de evitar polêmicas, recebeu elogios do técnico Mano Menezes, que sinaliza com uma possível convocação após o Brasileirão.

Rogério Ceni é o jogador do mundo há mais tempo em um mesmo clube.

30 out

Lance.net

O goleiro Rogério Ceni, do São Paulo, é o atleta mais fiel ao seu clube no mundo. O site Fichajes.com fez um levantamento sobre os jogadores que há mais tempo estão em um mesmo clube.

O são-paulino está no Tricolor há 22 anos e nove meses. Ele supera em um ano o segundo colocado na lista, o galês Ryan Giggs. O meia defende o Manchester United há 21 anos e 11 meses.

Veja a lista com os jogadores mais “fiéis”:

Rogério Ceni (São Paulo/BRA) – 22 anos e nove meses
Giggs (Manchester United/ING) – 21 anos e 11 meses
Totti (Roma/ITA) – 19 anos e nove meses
Shovkovsky (Dínamo de Kiev/UCR) – 19 anos e três meses
Nikolov (Eintracht Frankfurt/ALE) – 19 anos e três meses
Rydström (Kalmar/SUE) – 18 anos e dez meses
Mortensen (Tvoroyri/FAR) – 18 anos e nove meses
Lafton (Honefoss/NOR) – 18 anos e nove meses
Wasta (Kalmar/SUE) – 18 anos e nove meses
Yamada (Urawa Red Diamonds/JAP) 18 anos e nove meses

Rogério Ceni, já não é hora de você mudar de profissão?

25 out

Não existiu nos últimos anos alguém tão dedicado e identificado com o São Paulo como Rogério Ceni, no entanto essa vontade exacerbada de vencer,  tem feito você desrespeitar os limites hierárquicos.

M1TO! Não manche a imagem de ídolo de uma Nação, com atitudes de insubordinação e ingerência, ainda mais você, um atleta que sempre foi tido como exemplo de pessoa e profissional.

É nítida que a influência de Rogério Ceni transcende a ingerência e que por vezes atravessa a comissão técnica. Em parceria com Milton Cruz, ele prospecta jogadores, como fez com Rivaldo, e ajuda a “amolecer” as sondagens àqueles que interessam à diretoria — a exemplo do atacante Washington, em 2008. Ídolo da torcida e afagado pelos cartolas, o camisa 1 segue intocável no clube, imune à troca de técnicos e aos tropeços.

Rogério é o dono do vestiário são-paulino. Na retaguarda, o presidente Juvenal Juvêncio dá suas cartadas no time através do vigilante Milton Cruz, seu braço direito nas contratações e porta-voz dos comandos aos jogadores.

Fica evidente a insatisfação do medalhão tricolor com a gestão irregular do treinador Ney Franco, que não consegue impor sua filosofia de trabalho no São Paulo. E que na noite de ontem em meio a um jogo lastimável, conheceu o lado negro de um dos seus principais jogadores.

Durante boa parte do segundo tempo, o goleiro ficou gesticulando para o banco de reservas pedindo uma alteração na equipe. Ney Franco demorou para mexer no time, e o capitão foi mais incisivo. Ele foi até a intermediária e fez mais gestos para o técnico, que, pouco depois, saiu da área técnica e esbravejou contra o ídolo do clube.

Quando questionado se Ceni havia sugerido alguma alteração, Ney Franco foi curto na resposta:

– Foi um pedido com nome. Ele pediu o Cícero. Eu optei pelo Willian José. Foi só o que aconteceu.

Acostumado a dar respostas longas, o treinador são-paulino falou o mínimo para tratar desse assunto. Na sequência, o comandante foi perguntado se aprovava palpites dos jogadores na escalação.

– Não aprovo. Acho que é cada um na sua. Cada um fazendo a sua função. Se eu achasse que deveria ser o Cícero, eu colocaria – disse.

No vestiário, depois da partida, eles não falaram sobre o tema:

– Eu vou conversar com o grupo todo amanhã (quinta-feira), a gente sempre tem esse tipo de conversa nas reapresentações e, com certeza, esse é um tema que a gente vai tocar.

Há 22 anos no São Paulo, Rogério Ceni tem o costume de conversar com os treinadores e sugerir alterações durante o jogo. Na saída do gramado, ele não foi questionado sobre o assunto e também não passou pelo saguão de imprensa.

Preterido, Rogério Ceni descarta seleção brasileira.

21 out

.

A seleção brasileira foi tema de discussão que tive com o ídolo do São Paulo.

Eu insisti no velho clichê de que “seleção é momento” para reforçar a opinião de muitos de que Rogério Ceni deveria voltar ao time nacional. Mas este surrado pensamento não convence um dos maiores goleiros do mundo.

“Minha época na seleção já passou. Depois de 2006/07/08, ganhando campeonatos brasileiros e sendo considerado o melhor goleiro do país, eu não fui nenhuma vez, não vai ser agora com quarenta anos”,descarta.

Eu lembro que o italiano Dino Zoff e o norte-irlandês Pat Jennings, disputaram Copas do Mundo com 40 anos. Ceni destaca que “eles já vinham de participações constantes na seleção de seus paises”.

Ceni elogiou Diego Alves, do Valência, hoje titular da seleção do Brasil. “Temos grandes goleiros. Diego Alves, Júlio César, Vítor, Jefferson, Cássio e vários outros. Hoje é mais época deles”, avalia.

E se chamado? Pergunto. Rogério Ceni olha e me responde rápido: “Não vou ser chamado”.

Rogério Ceni jogou 17 partidas pela seleção brasileira e disputou as Copas de 2002 e 2006.