Tag Archives: René Simões

Coluna do Zanquetta: 2013 está aí…

13 nov

Planejamento Pré Libertadores.

É claro que todos tem fé, acreditam e torcem mas o planejamento do São Paulo tem base em pés no chão com a Pré Libertadores. Para tanto, a apresentação do grupo pode ocorrer antecipadamente no dia 26/12 ou no máximo 02/01. São as datas trabalhadas atualmente.

Ah, tá…mas muda o quê? Muda que o São Paulo já faz esforços para conseguir fechar o elenco até o Natal. E os agentes negociadores, empresários entre outros já tem total ciência. Quem quiser fazer parte, ou é alguém especialíssimo, ou está fora.

Como a espinha já está pronta, tudo será mais fácil. Os jogadores que serão dispensados, emprestados ou negociados, serão avisados logo que os jogos tricolores findarem.

2013 está aí!

Diego Souza, Carlos Eduardo, RG, Taison…quem seria a melhor opção?

Para manter o esquema atual, o ideal a meu ver seria Diego Souza que ainda agregaria força em jogadas aéreas e mais poder de finalização. Carlos Eduardo agregaria demais em velocidade e criação de jogadas pelas pontas como Lucas mas com jogo mais tocado e menos corrido. Faz menos gols, mas cria mais e serve mais. Taison é bem menos efetivo e atua mais como Lucas em velocidade. Já RG que tem propostas fortes principalmente do Fluminense, não deve vir mesmo devido à salário.

JJ prefere Diegrossouza e Ney Franco prefere Carlos Eduardo. Há também Dudu que atua nestes moldes mas inferior ao futebol dos citados acima. Pode contribuir mas não vir para assumir a camisa titular Tricolor no time que promete para 2013.

RC renovou. 

Apesar da gracinha de afirmar que não tinha contrato na mesa na semana passada, RC esta semana renovou com os mesmos termos seu contrato até o final de 2013. É mais um da leva que o SPFC quer pronto para o planejamento da Pré Libertadores estar redondo se não vencermos a Sul Americana.

Sócio Torcedor. 

Esta semana decidiram impedir o ingresso de mais sócios para arrumarem a zona que hoje é o ST do SPFC. Achei ao menos justa a decisão. Estimo melhoras sensíveis ao programa…

Fabrício. 

O lateral esquerdo do Inter é visto como opção no São Paulo mas tem enormes ressalvas. Ele foi do Tricolor e acabou liberado por má conduta no passado. Desde a época de Portuguesa que o Tricolor acompanha o jogador que ainda não renovou com o Inter. Ele atua como segundo volante, lateral e meia. Seria interessante pela polivalência mas só se Cícero saísse do clube. Saiu uma matéria no Lance! que há descontentamento com Corteza. Balela.

Aloísio. 

Até onde soube, o Uram afirmar que há o interesse de dezenas de clubes no atacante foi uma jogada para tentar aumentar o salário do atleta que já foi pautado pelo SPFC. Há um acordo, ele está apalavrado mas com os valores oferecidos por outros clubes, como é normal, o jogador se empolgou um pouco. Eu acho que vem mas o ideal é ter cautela e opções. Além dele, o São Paulo recebeu como oferta o Kieza. Eu ainda prefiro o Aloísio.

Lucca. 

Algumas pessoas reclamaram que o valor de R$ 10 mi de Lucca era absurdo. Eu também acho. Entretanto, a DIS é quem está negociando e em comum acordo com o São Paulo, se confirmando a transação, viria para o Morumbi como o Ganso. 5 anos, mesmos moldes. Talento ele tem. Passará algum tempo ainda se recuperando mas como é quase 0800…

Cicinho. 

Conforme falamos há tempos e mais incisivamente na última coluna, o lateral da Ponte está em conversas avançadas. Ney gosta do jogador pois além de atuar no setor direito e ter características ofensivas e muita velocidade para saída de jogo, pode efetuar a mesma função que Lucas faz como ponta como já fez algumas vezes na Ponte como um meia mais avançado. Algo similar ao que Cuca fazia com Cicinho em alguns jogos em 2004 no São Paulo e Ney tentou fazer com Douglas este ano. Se confirmado, excelente reforço.

Patrocínio Master e Penalty. 

Incrível como tem gente fazendo estardalhaço em cima de nada. Estão comparando nossos valores com os de Palmeiras e Corinthians. Ok. Lembrem-se que nosso patrocínio master é de R$ 25 mi em cash. Independente de título, rebaixamento etc. O Palmeiras, só chega aos R$ 25 mi em caso de títulos e bonificações por desempenho de mídia e futebolístico. O nosso, se compararmos assim, chegaria a R$ 33 milhões.

Mesmo caso da Penalty. Dizem que o Corinthians tem R$ 20 mi da Nike. Como era dito que tínhamos da Reebok. Estes são valores totais. Cash mais investimentos, material esportivo, ações, mídia etc. Tínhamos R$ 12 mi neste formato com a Reebok antes e passamos a R$ 13 mi agora. E, em investimentos, estima-se R$ 10 a R$ 12 mi. Lembrando que são dados não confirmados até que oficialmente o SPFC oficialize. Até lá, não dê ouvidos a quem gosta de brincar com sua paixão para criar factóides, assunto e criticar por criticar.

Cañete. 

Menon, que é um jornalista sério e bem crítico, esteve esta semana com o meia argentino Cañete. Ao contrário do que alguns setoristas “bem” intencionados alegavam, o meia está com uma gana enorme de voltar, atuar e vencer. O jogador tem apoio da família e muita força para que consiga ter sucesso no Tricolor. E agora, me pergunto, setoristas que afirmavam que o jogador era um descompromissado come e dorme? Acho que agora vai…relacionado já foi.

Jean.

Semana rolou um debate sobre o valor do Jean que vendemos parte ao Fluminense e que se pagar mais R$ 3,5 mi, leva o atleta de vez. Ele realmente tem muito preparo, vontade e é voluntarioso. Valeria a pena trazer o Jean de volta? Eu sinceramente, prefiro Denílson. E creio que Fabrício será o titular quando retornar. Mas vemos que Jean num time organizado e bem treinador, rende muito mais que aquele futebol pífio da época de Leão e PCC. O que vocês acham?

Democracia no Inter? 

Nosso leitor, Thiago, trouxe uma informação a respeito de uma cláusula de barreira na participação do voto dos sócios. E ela foi usada para a reeleição de Luigi. Isso é democracia ou fingir que há para ludibriar?

Renê Simões. 

Por desentendimentos com JJ, Renê resolveu deixar o Tricolor. A demissão do treinador do Sub 15 não foi o motivo, foi o estopim. A contratação em baciada na tentativa de renovação do grupo, as cobranças, as propostas de fora, compromissos extras e desentendimentos de gestão encerraram sua passagem. Lamento, mas a vida segue e infelizmente Renê pouco fizera também. Mais aprendeu que contribuiu. Boa sorte.

Ah, para os terroristas de plantão que pela saída de Renê já começaram a tecer teorias conspiratórias e deixar sua mente fértil fluir, calma. Não houve nada assim crucial ou escuso. Lembremos que Renê conseguiu fazer até coisas que não fossem benéficas ao São Paulo como reverter contratos com talentos jovens por ética. Se fez isso, não podemos esquecer achando que tudo são espinhos, como também nem tudo são rosas.

Anúncios

René Simões diz que saída do São Paulo foi por princípios “que não devem ser quebrados”.

9 nov

UOL, São Paulo.

René Simões se pronunciou pela primeira vez sobre a sua saída do São Paulo. Ele, que ocupada o cargo de coordenador das categorias de base do clube, disse que sua saída se deu por causa de princípios “que não devem ser quebrados”.

Ele citou até a recente polêmica envolvendo o goleiro Rogério Ceni e o técnico Ney Franco para ilustrar o seu caso em texto escrito no seu site oficial.

“Tive oportunidade de parabenizar o Ney pela condução serena e pelo resultado obtido, ou seja, grupo nas mãos dele, cada vez mais orgulhoso pelo líder maior, Rogério Ceni e jogando uma enormidade depois daquele episódio. Portanto, saio em nome de princípios que não podem e não devem ser quebrados ou negociados”.

Em um trecho do esclarecimento em seu site, René Simões deu a entender que saiu do São Paulo porque contestou decisões dos seus superiores.

“No caso atual, é uma questão muito simples entre o entendimento do cargo e a função do cargo. O cargo pertence, em qualquer momento à instituição, quanto a função pertence por definição do organograma e do fluxograma a quem senta na cadeira referente ao mesmo”.

René diz também que sai emocionado com o carinho recebido. “Agradeço a todos dentro do clube que me escreveram com as mais variadas manifestações, foi emocionante. Saio de mente quieta, espinha ereta e coração tranquilo e com a certeza de que saio não por mim mas por respeito ao projeto elaborado, iniciado e aos profissionais envolvidos. Agradeço a cada profissional da base, competentes e leais que me ajudaram muito neste período”.

Desgastado, René Simões deixa a diretoria técnica da base do São Paulo

8 nov

FERNANDO FARO – O ESTADO DE SÃO PAULO

SÃO PAULO – Contratado em fevereiro para ser a ponte entre as categorias de base, e a equipe profissional, René Simões deixou o cargo de diretor técnico do Centro de Formação de Atletas (CFA) do São Paulo. A decisão foi tomada em reunião nesta quarta-feira entre o treinador e o diretor de futebol Adalberto Baptista.

A alegação oficial é que René está à procura de novos desafios profissionais, mas a verdade é que ele vem em forte rota de colisão com José Geraldo Oliveira, gerente de futebol, e Marcos Tadeu, diretor das categorias de base, por causa da forma da dupla gerenciar as equipes mais jovens. René chegou com a missão de profissionalizar o departamento e, dessa forma, facilitar a criação de novos talentos como Lucas, Oscar e Breno, todos saídos de Cotia. Ele chegou a conhecer diversos CTs de base pelo mundo e almejava dar ao São Paulo a mesma estrutura de La Masia, mítico centro de formação de atletas do Barcelona.

No entanto os desgastes começaram a aparecer e René se viu impedido de realizar seu trabalho. Como Geraldo e Tadeu são homens de confiança do presidente Juvenal Juvêncio e, apesar das muitas críticas, o dirigente se recusa a demiti-los. Conselheiros de oposição chegaram a acusar o gerente de viabilizar esquemas que favorecessem empresários, mas as alegações nunca foram comprovadas.

A maior prova do racha existente em Cotia foi dada pelo ex-treinador Zé Sérgio logo após a pífia campanha na Copa São Paulo deste ano, quando o Tricolor foi eliminado na primeira fase. “Uma situação como essas pode fazer com que o São Paulo mude um pouquinho os seus conceitos de trabalho. O avião caiu, agora vamos pegar a caixa preta e abri-la”, disse à época. Mesmo com dois títulos mundiais na bagagem, acabou demitido. O técnico, hoje na base da Ponte Preta, era um crítico às regalias oferecidas aos garotos, que passaram a ser visto como “mimados”. “Oferece-se muito e cobra-se pouco. Eles (jogadores) dão muito pouco ao São Paulo”, criticou.

Pelo menos por enquanto o clube não contratará nenhum substituto para o cargo. AoEstado, Juvenal negou qualquer problema com o antigo diretor. “Até onde eu saiba o René não tinha queixas sobre o Geraldo e o Marcos. Pelo contrário, tinham uma relação bastante cordial”.

Goleada do São Paulo livra Juvenal Juvêncio de cobranças sobre saída de René Simões

8 nov

Perrone

Além de fazer a alegria da torcida, a goleada de 5 a 0 sobre a Universidad de Chile deve abafar o mal-estar criado no Morumbi com a saída de René Simões do comando das categorias de base.

O pedido de demissão deixou conselheiros e até diretores desconfiados de que o funcionário entrou em rota de colisão com o presidente. Foram ao Pacaembu ávidos por uma resposta. De acordo com a versão oficial, Simões saiu por questões pessoais.

Antes da partida, os descontentes diziam que o avanço na Sul-Americana faria o assunto cair no esquecimento. E da maneira como o time atropelou os chilenos é improvável que alguém se anime a cobrar Juvenal. Pelo menos nas próximas horas.