Tag Archives: Palmeiras

Confirmação de favoritismo de Haddad alivia São Paulo e Palmeiras.

28 out

Perrone.

As últimas pesquisas sobre a eleição paulistana são tranquilizadoras para dirigentes de São Paulo e Palmeiras. Os dois clubes entraram na reta final da campanha de Fernando Haddad, que, segundo o Datafolha, será o novo prefeito, e temiam uma reviravolta. Havia receio de retaliações por parte do PSDB em caso de vitória de José Serra.

Tricolores e alviverdes ainda dependem da prefeitura para concluir os projetos de reforma em seus estádios. E também para o funcionamento deles como casas de espetáculos. Esse foi um dos motivos para apoiarem o favorito. Mas nos dois clubes há cartolas que consideraram a estratégia arriscada.

No São Paulo, Juvenal Juvêncio estava ciente do risco e por isso hesitou em aceitar o convite para participar de encontro com o candidato petista. Foi convencido pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

Para aliados do presidente, pesou na decisão sua mágoa com o ex-governador Serra por não ajudar como poderia na batalha para colocar o Morumbi na Copa do Mundo.

No Palmeiras, o apoio a Haddad ainda gera polêmica. Parte dos conselheiros argumenta que Arnaldo Tirone deveria ter se mantido neutro, pois Serra é torcedor do alviverde. Talvez por isso, o presidente palmeirense tenha sido tão discreto durante o evento petista. Sua timidez até rendeu críticas de militantes do PT.

Já no Corinthians há o temor de que o esforço de Andrés Sanchez para apoiar Haddad aumente o desejo do Governo Estadual de não colocar dinheiro público nas arquibancadas provisórias do Itaquerão. Por ora, o discurso tucano é de que na falta de um patrocinador será honrado o compromisso de bancar as instalações.

Nesse cenário, os cartolas paulistanos se preocuparam como nunca com a eleição municipal. E a provável vitória do candidato escolhido por eles deve gerar uma enxurrada de pedidos à nova administração.

Jornal posta São Paulo x Palmeiras em jogo da Inglaterra.

18 out

Em matéria sobre o cancelamento da partida entre Polônia e Inglaterra, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, na terça-feira (16), devido as fortes chuvas que caíram em Varsóvia, na Polônia, o jornal britânico ‘Metro’ errou ao postar a foto da praça esportiva e publicou a imagem do Morumbi, em partida entre São Paulo e Palmeiras.

O clássico Choque-Rei foi disputado no dia 27 de fevereiro de 2011 pelo Campeonato Paulista e, após as fortes chuvas que caíram na capital, o confronto começou com uma hora e dez minutos de atraso. Na ocasião, torcedores são-paulinos aproveitaram a inundação das arquibancadas para ‘nadar’. O jogo entre Polônia e Inglaterra foi remarcado para esta quarta-feira (17) e terminou em 1 a 1.

Após clássico, Juvenal Juvêncio fake provoca palmeirenses na internet; veja pérolas

7 out

perfil falso do presidente são-paulino Juvenal Juvêncio estava inspirado depois que o time venceu o Palmeiras por 3 a 0 no sábado. A página no Facebook é mantida por alguém bem-humorado que não perdeu a chance de tirar sarro dos rivais.

Na luta contra o rebaixamento, o Palmeiras sofreu um duro revés ao ser batido com dois gols de Luis Fabiano e um de Denilson no Morumbi. O time terá de se recuperar na próxima quinta contra o Coritiba. Até lá, a torcida ainda terá que ter muita presença de espírito.

Veja algumas pérolas do Juvenal fake:

Além do Barcos, o Palmeiras tem outros piratas: olha quantos pernas de pau

Não reclame nunca dos seus problemas. Você podia ser palmeirense.

O drible do Lucas foi tão genial que machucou a coluna do Márcio Araújo na ida e curou na volta. Ele nem sabe ainda que sofreu lesão.

Coisa pro Palmeiras tá mais feia que o goleiro Cássio.

Sorte do Dia: você é pintor em Perdizes. (não entendeu? Clique aqui)

Pelo resultado de hoje no ChoqueRei acho que fica claro quem é o Choque e quem é o Rei.

Paysandu subindo pra terceiro agora na Série C. Grandes chances do Palmeiras jogar em Belém em 2013

O Figueirense é o Palmeiras de SC.

Pressionados, Palmeiras e São Paulo fazem clássico nervoso no Morumbi.

6 out

Por Diego Ribeiro e Marcelo Prado – São Paulo.

Tricolor tem de vencer para seguir na cola do G-4, e o Verdão luta para continuar perto do Coritiba, primeiro time fora da zona de rebaixamento.

São Paulo x Palmeiras é um duelo de muita rivalidade e, como tal, envolve tensão e nervosismo. São 76 anos de história e 286 confrontos realizados. Decisões de campeonatos, triunfos históricos de lado a lado e heróis que se sucederam. Além de toda essa carga, o Choque-Rei deste sábado, às 16h (de Brasília), no estádio do Morumbi, tem ainda mais ingredientes para torná-lo tenso. Os dois times estão em situações diferentes na classificação do Campeonato Brasileiro, mas igualmente pressionados.

De um lado, o Tricolor, comandado por Ney Franco, necessita da vitória para manter sua caça ao G-4 do Campeonato Brasileiro – com 43 pontos, o time está quatro atrás do Vasco. Obcecado por uma vaga na Taça Libertadores de 2013, a equipe do Morumbi ataca em duas frentes. Além do nacional, se mantém na Copa Sul-Americana – atualmente disputa as oitavas de final e está a um empate sem gols com o LDU de Loja, do Equador, no Morumbi, para avançar.

A situação do Verdão é a mesma. Vivo na Copa Sul-Americana (também nas oitavas, podendo até perder por um gol para o Millonarios, da Colômbia, fora), mas em situação delicada no Brasileiro, o time precisa do triunfo para diminuir sua desvantagem para o Coritiba, primeiro clube que está fora da zona do rebaixamento. O Coxa, 16º, tem 32, e o Verdão, 18º, tem 26 . O time que capengava nas mãos de Luiz Felipe Scolari ganhou nova vida com Gilson Kleina. Venceu seus últimos três jogos, marcou nove gols e deu esperança ao torcedor.

Os dirigentes palmeirenses resolveram apimentar o confronto ao tentarem vetar a escalação do árbitro Paulo César de Oliveira. O clube alega que é prejudicado desde 1997 e encaminhou à CBF um dossiê contendo 28 supostos erros do árbitro contra o clube. A iniciativa não surtiu efeito e ainda provocou críticas do técnico são-paulino Ney Franco, que acusou os dirigentes de quererem influenciar a arbitragem.

Objetivos traçados, pressão na arbitragem, expectativa de grande público. Por tudo isso, a expectativa é de um duelo aberto e ao mesmo tempo nervoso. A partida será transmitida para todo o país pelo canal Premiere, através do sistema pay-per-view. O GLOBOESPORTE.COM também acompanhará o duelo em Tempo Real, com vídeos exclusivos, a partir das 15h30m.

São Paulo: o técnico Ney Franco não fez mistério. No treino da última sexta-feira, comandou um coletivo no CT da Barra Funda e confirmou o time no esquema 4-2-3-1, mesmo com a presença de três atacantes em campo (Jadson e Osvaldo formarão com Lucas uma linha no meio). Luis Fabiano, recuperado de lesão, volta ao comando do ataque, assim como os volantes Wellington e Denilson, livres de suspensão. O desfalque será Rhodolfo, suspenso. O time entrará em campo com: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Cortez; Denilson e Wellington; Lucas, Jadson e Osvaldo; Luis Fabiano.

Palmeiras: sem Thiago Heleno, Luan e Maikon Leite, Kleina avisa que deve manter o esquema que vem dando certo no início de seu trabalho. Mesmo assim, pode promover o retorno do volante Henrique à zaga, sua posição de origem. Se isso ocorrer, Román será sacado e Correa entrará no meio-campo. No ataque, Mazinho e Obina disputam vaga, com vantagem para o primeiro. O time: Bruno, Artur, Maurício Ramos, Román (Correa) e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Valdivia; Mazinho e Barcos.

São Paulo: o zagueiro Rhodolfo terá de cumprir suspensão automática. Cañete, recuperado de lesão no joelho direito, ainda aprimora a forma física. Fabrício, que operou o joelho esquerdo, só retorna em 2013. Já Paulo Henrique Ganso, que ainda se recupera de um estiramento na coxa esquerda, não tem previsão de estreia.

Palmeiras: Thiago Heleno, com dores no pé direito, e Maikon Leite e Luan, suspensos, são os principais desfalques. Além da suspensão, Maikon se recupera de uma pancada no tornozelo direito. Ainda estão fora o volante Wesley, que já está curado de uma lesão no joelho direito, mas ainda está fora de forma; o volante João Vitor, com lesão no dedo mínimo do pé direito; e o lateral-esquerdo Fernandinho, que rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e só volta a jogar em 2013. .

São Paulo: Ademilson, Douglas, Ganso, Jadson, João Filipe, Maicon, Osvaldo, Paulo Assunção, Rodrigo Caio e Rogério Ceni.

Palmeiras: Daniel Carvalho, Hernan Barcos, Juninho, Luan, Márcio Araújo, Mauricio Ramos, Valdivia e Wellington.

Paulo Cesar Oliveira (Fifa/SP) apita a partida, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa/SP). Paulo César Oliveira arbitrou dez jogos no Brasileirão, marcou 341 faltas (média de 34,1 por jogo), aplicou 39 amarelos (média de 3,9 por jogo), dois vermelhos (média de 0,2 por jogo) e quatro pênaltis (média de 0,4 por jogo). O campeonato tem média de 5,03 amarelos, 0,29 vermelho, 36,7 faltas e 0,21 pênalti. O árbitro apitou um jogo do Tricolor na Série A deste ano: São Paulo 3 x 1 Portuguesa, pela 25ª rodada.

São Paulo: Luis Fabiano. De volta à equipe, o atacante é uma das principais apostas de Ney Franco. O desempenho do camisa 9 é muito bom no ano. Em 31 partidas disputadas, ele marcou 24 gols.

Palmeiras: Barcos. Com 23 gols na temporada, o atacante é a principal esperança para vazar a defesa são-paulina. Faltam apenas quatro para o Pirata atingir sua meta de 27, estipulada em sua chegada ao clube, no início do ano. Com o argentino em dia inspirado, o Verdão tem meio caminho andado para uma boa atuação no Morumbi.

Ney Franco, técnico do São Paulo: “O Palmeiras perdeu um jogador importante, o Maikon Leite, que dá velocidade pelas laterais. Pelo que observamos, existe uma dúvida entre manter esse jeito de jogar, com a entrada do Mazinho, ou então atuar com duas referências na área, com o Obina, jogador que tenho ótimas recordações da época em que trabalhamos no Flamengo. O Palmeiras cresceu muito de produção nos últimos jogos e merece todo o nosso respeito.”

Gilson Kleina, técnico do Palmeiras: “O adversário está buscando uma Libertadores, e nós temos o nosso campeonato, que é se aproximar do 16º colocado. Sabemos o que representa um clássico como esse. O Palmeiras está  crescendo e espero continuar nesse ritmo”.

* Quem tem vantagem? Confira o histórico do confronto na Futpédia.

* Faz dez anos que o Palmeiras não bate o São Paulo jogando no Morumbi. A última vitória do Verdão na casa do Tricolor foi no dia 20 de março de 2002, quando venceu por 4 a 2 pelo Torneio Rio-São Paulo, gols de Magrão, Claudecir, Alex e Arce. França e Kaká descontaram para o Tricolor.

* Nas últimas 18 vezes que o São Paulo enfrentou o Palmeiras no Morumbi, o Tricolor venceu 11 vezes e houve sete empates.

* Empate é o resultado mais comum no retrospecto recente deste clássico. Nas últimas dez partidas entre as duas equipes, cada equipe venceu duas vezes e houve seis igualdades.

* Nas últimas 20 vezes que São Paulo e Palmeiras se enfrentaram houve apenas uma vitória por mais de dois gols de diferença. No Paulistão 2008, o Palmeiras goleou por 4 a 1 em Ribeirão Preto. A última vitória são-paulina por mais de dois gols de diferença foi no Brasileirão 2006, quando fez 4 a 1.

* Ano passado, as duas equipes se enfrentaram três vezes, com uma vitória palmeirense e dois empates. No Paulistão-2011, as duas equipes empataram em 1 a 1 no Morumbi, gols de Fernandinho e Adriano. No Brasileirão, novo empate (1 a 1) no Morumbi, e vitória do Verdão por 1 a 0 no Pacaembu.

* Foi pelo Brasileirão de 2010 que o São Paulo conseguiu suas últimas vitórias sobre o Palmeiras: 1 a 0 no Morumbi (26 de maio de 2010) e 2 a 0 no Pacaembu (19 de setembro de 2010).

* São Paulo e Palmeiras fazem um dos clássicos de retrospecto mais desequilibrado da história do Campeonato Brasileiro. Em 51 jogos, o São Paulo conseguiu apenas nove vitórias (18%) e chegou a amargar um tabu de 27 anos (ou 25 jogos) sem derrotar o Palmeiras em Brasileiros. A equipe do Morumbi ficou sem vencer o rival de 1973 a 2000.

Palmeiras e São Paulo se enfrentaram pela última vez no dia 15 de julho deste ano, em jogo válido pela 9ª rodada do Brasileirão. A partida foi disputada em Barueri e terminou com o empate em 1 a 1. Luis Fabiano abriu o marcador no primeiro tempo, e Mazinho definiu o resultado na segunda etapa. Valdivia ainda perdeu um pênalti, que foi defendido por Denis. O Verdão, que havia acabado de conquistar a Copa do Brasil, entrou em campo com Bruno, Artur, Maurício Ramos (Maikon Leite), Leandro Amaro e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, João Vítor e Valdivia; Mazinho (Fernandinho) e Betinho (Cicinho). Já o Tricolor de Ney Franco atuou com Denis, Douglas (Willian José), Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortês; Denilson (Maicon), Casemiro (Rodrigo Caio), Cícero e Jadson; Osvaldo e Luis Fabiano.

Advogado palmeirense entra na Justiça com medida cautelar visando liminar para tirar Paulo César de Oliveira do clássico São Paulo x Palmeiras.

4 out

Por Milton Neves

Laércio Benko Lopes, advogado, fervoroso torcedor do Palmeiras e ferrenho “adversário” de Paulo César de Oliveira, não larga do pé do árbitro da Fifa.

Entendendo que Paulo César “erra sempre contra o Palmeiras”, o advogado protocolou hoje (04/10) no Fórum João Mendes pedido de liminar para tirá-lo do clássico de sábado.

E você, o que acha disso?

A medida liminar é justa e merece ser deferida?

Trata-se apenas de pressão contra Paulo César para intimidá-lo a não “prejudicar” o Verdão?

Ou realmente Paulo César de Oliveira erra mesmo “sempre contra o Palmeiras”?

Neto quer fazer negócios no Palmeiras.

22 set

Por Paulinho, BLOG DO PAULINHO.

Se no Corinthians o comentarista Neto, da BAND, sempre encontrou facilidade para intermediar transações de jogadores, no Palmeiras, com Felipão, a situação era bem diferente.

Porém, agora, com a contratação de Gilson Kleina, novas investidas serão efetuadas.

Neto acredita que o ex-treinador da Ponte Preta lhe deve “favores” após tantas aparições no programa “Donos da Bola”, do qual é apresentador.

E quer cobrar a dívida.

Kleina precisa decidir entre agradar o comentarista, prejudicando tecnicamente sua equipe ou impedir que isso aconteça, sabedor de que será hostilizado na tela da BAND, porém deixando intacta sua dignidade.

No Parque São Jorge, o subterfugio utilizado para que os negócios aconteçam sem provocar alarde foi a colocação estratégica de um olheiro na equipe profissional, apadrinhado pelo comentarista, o ex-jogador Mauro Van Basten, que além de negociar também recebe os valores de comissão.

Para atuar no Verdão, nova alternativa está sendo avaliada.

O comentarista tentará empurrar para o clube jogadores agenciados pelo filho de Beto Zini, ex-presidente do Guarani, seu sócio informal em algumas transações.

Resta saber se os dirigentes palmeirenses ficarão atentos a estas negociações ou tentarão participar da partilha.

Corinthians: bicho dobrado para rebaixar o Palmeiras.

14 set

Por Paulinho, BLOG DO PAULINHO.

A diretoria de futebol do Corinthians, demonstrando a pequenez daqueles que acreditam dirigir equipes varzeanas, decidiu, agora há pouco, pagar bicho dobrado em caso de vitória sobre o Palmeiras.

O mentor da “oferenda”, Duílio do Bingo, diretor adjunto de futebol, pediu sigilo sobre a proposta.

Porém, em caso de vazamento, como agora, se não negar deverá dizer que a premiação maior se deve à grande rivalidade entre as equipes.

Na verdade, quer demonstrar a seus parceiros hábitos que julga de extremo “corinthianismo”, mas que, na verdade, atentam contra o profissionalismo exigido pelo cargo que ocupa.