Tag Archives: Grupo DIS

São Paulo e Grupo DIS chegam a um acordo. Santos aguarda o depósito.

15 set

Após longa reunião que se iniciou por volta das 17hrs da ultima sexta-feira. São Paulo e a DIS anunciaram um acordo no inicio da madruga de hoje.

Conforme o próprio Delcyr Sonda postou em seu twitter, ” A DIS vai dar parte da multa e aumentar sua porcentagem nos direitos de PH Ganso. A vontade do jogador pesou”.

O Santos foi informado que a multa será depositada na próxima segunda-feira equivalentes aos 45% dos direitos econômicos a que o clube praiano tem direito. E o Peixe já aceitou os termos com a DIS, dona dos outros 55%.

– Nunca me senti tão tricolor… – manifestou-se Ganso, já no início da madrugada, via SMS, para um amigo que pediu para não ser identificado.

O próprio Ganso ligou para o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, reiterando sua vontade em se transferir para o clube do Morumbi – ele havia acertado salários há quase um mês. Juvenal atendeu a reportagem do GLOBOESPORTE.COM por volta das 21h e relatou que o negócio estava bem encaminhado e que seria fechado neste sábado. Poucas horas depois, um membro da diretoria santista reconheceu que está tudo certo, e que Ganso está de saída para o rival.

Ele falou por telefone com Juvenal Juvêncio e, depois da conversa, reiterou aos empresários do DIS que não cogitava a hipótese de atuar no Grêmio. Na quinta-feira, um dos diretores do grupo havia viajado a Porto Alegre e deixado o diretor de futebol Paulo Pelaipe otimista em relação à contratação.

O Grêmio ainda tinha esperança. Também na noite desta sexta-feira, o presidente do clube gaúcho, Paulo Odone, afirmou que a negociação com o meia, o clube praiano e a DIS estava bem encaminhada. Mas a vontade de Ganso era mesmo se acertar com o São Paulo.

Agora o maior receio é de que o alvinegro volte a pedir o pagamento da multa integral (R$ 53 milhões).  São Paulo e DIS chegaram a R$ 23,8 milhões. Esse é o valor referente aos 45% dos direitos econômicos nas mãos do Santos.

Ao longo da novela, o Santos já mudou sua posição. Começou pedindo R$ 23,8 milhões, pulou para R$ 53 milhões e depois reduziu sua pedida.

Com medo de alterar o humor dos santistas e o preço, DIS e São Paulo passaram os últimos dias evitando polêmicas. Nos bastidores, no entanto, reclamam das dificuldades de negociar com um comitê gestor que costuma se reunir uma vez por semana e que tem integrantes com pensamentos diferentes.

OI OI OI: São Paulo torna a novela “Ganso” a mais insuportável do Brasil.

14 set

Por Daniel Perrone, BLOG DO TORCEDOR

Nação do Maior do Mundo;

A novela envolvendo o jogador Paulo Henrique Ganso é, sem sombra de dúvida, uma das mais irritantes da história do futebol brasileiro.

O torcedor do São Paulo não aguenta mais as especulações envolvendo o bom camisa dez santista. Ele pede uma rápida solução da diretoria do São Paulo, e principalmente com um final feliz envolvendo o clube.

A não contratação do meia depois de tanta ‘enrolação’ entre os envolvidos frustará a maioria da torcida Tricolor, que dá justos sinais de insatisfação nas redes sociais. Seguem alguns capítulos desta novela:

Capítulo um: Ganso, ao que tudo indica, não vestirá mais a camisa do Santos e dá preferência ao São Paulo FC. A DIS, detentora de 55%* dos direitos do meia, também entende que o Tricolor é a melhor vitrine para seu produto e pretende investir nesta parceria.

Capítulo dois: O Santos está certo em defender o valor de seu atleta, assim como o São Paulo esteve certo em bater o pé por um bom valor por outro insatisfeito: Oscar. O Clube da Vila Belmiro já revelou o valor que pretende receber. Dificilmente cederá, até porque reforçará um rival próximo.

Capítulo três: O Grêmio entra na jogada. Bom para o Santos que tem possibilidade de vender para bem longe de seu território. O clube gaúcho sinalizou que paga a quantia pedida pelo Peixe enquanto que o São Paulo FC fica “viabilizando” com a DIS.

Capítulo quatro: A DIS prefere a ‘vitrine paulista’, mas não é boba. Fechou com ambos os clubes e acertou os salários. Para refrescar a memória do torcedor, antes do São Paulo aparecer como interessado, a própria DIS quis colocar o meia no Internacional. O clube que fechar primeiro com o Santos levará o Ganso para casa. É a lei do mercado e não é pecado nenhum negociar, mas há limite. Luxemburgo, assim como Ney Franco, abriu as portas para o jovem jogador mostrar seu esquecido futebol para o mundo.

Capítulo cinco: A vigésima sexta rodada é a última que permite transferência entre jogadores da mesma série, desde que estes não ultrapassem o número de seis jogos. Não é o caso do Ganso, mas a vigésima sexta rodada é na semana que vem.

Estes são os principais ingredientes desta novela. O São Paulo tem a faca e o queijo na mão. Sabe o valor pretendido pelo Santos e conhece a preferência do jogador e da DIS. Mas “enrola” com a questão financeira buscando o jogador na queda de braço. Isso afeta o humor de todos seus torcedores e ganha adversários na briga pelo atleta. Se não houver pró-atividade do Tricolor no caso, provavelmente o torcedor se frustrará com o final da novela. Pois, por mais longa que ela seja, sempre haverá um fim.

Saudações tricolores!

Ganso bate o pé, DIS descarta Grêmio e negocia com São Paulo.

14 set
Por Alexandre Lozetti – São Paulo / GLOBO.COM

Apesar de otimismo dos gaúchos, investidores não querem meia no clube e vontade do jogador ‘seduz’ dirigentes do São Paulo, que buscam acerto.

O último capítulo da novela que envolve o futuro de Paulo Henrique Ganso pode não ser nesta sexta-feira, como se anunciava durante a semana. Novas reuniões entre São Paulo e DIS foram realizadas e a negociação avançou, a ponto de o grupo de investidores descartar a ida do jogador para o Grêmio. Desde o início, a preferência do DIS é pelo Tricolor paulista, até porque o homem-forte do grupo, Delcir Sonda, é torcedor e parceiro do Internacional, rival gremista.

A vontade de Ganso também pesa e tem chamado atenção da diretoria são-paulina. Tanto o presidente Juvenal Juvêncio quanto o diretor de futebol Adalberto Baptista estão impressionados com a vontade manifestada pelo jogador de atuar no Morumbi. No início das negociações, ele irritou a torcida do Santos ao declarar publicamente que seria um prazer jogar no São Paulo. Depois disso, e da chuva de moedas na derrota para o Bahia, na Vila Belmiro, o atleta teve uma lesão na coxa esquerda e se calou.

Tudo parecia caminhar para um final feliz depois que o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro admitiu receber R$ 23,8 milhões, valor correspondente aos 45% dos direitos econômicos do jogador a que o Santos tem direito. Só que o Grêmio surgiu com força no negócio e disposto a arcar com a quantia. Na última quinta-feira, o diretor de futebol da equipe, Paulo Pelaipe, assegurou que havia chegado a um denominador comum com o DIS. Os gaúchos teriam ajuda de investidores para pagar os R$ 23,8 milhões ao Peixe.

Como Laor também prefere vender Ganso ao Grêmio, e assim não ver seu jogador em um rival estadual, não é possível descartar essa possibilidade, mas o DIS, que detém 55% dos direitos do jogador, está empenhado em colocar o cliente no São Paulo. Para isso, deverá injetar dinheiro numa composição financeira com o time paulista para chegar ao valor da multa.

Ganso tem cinco jogos no Campeonato Brasileiro e só poderia disputar mais um antes de se transferir, mas como está lesionado, isso não será problema. A grande questão a ser resolvida é o prazo de inscrições na competição, que se encerra no próximo dia 21. Ou seja, resta uma semana para que o jogador defina se fica no Santos ou vai para São Paulo ou Grêmio. Desde a primeira proposta oficial recebida, a negociação já se arrasta por 25 dias.

 

Santos admite receber R$ 23,8 mi, e Ganso deve fechar com o São Paulo.

13 set

Por Alexandre Lozetti e Marcelo Hazan – São Paulo e Santos

São Paulo, Santos, DIS e Paulo Henrique Ganso caminham a passos largos para o fim da novela que deve levar o meia ao Morumbi até o fim desta semana. Pela primeira vez, o presidente do Peixe, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, admite que pode negociar o jogador pelo valor proporcional aos 45% dos direitos econômicos do atleta a que o clube tem direito, correspondente a R$ 23,8 milhões. Antes, o Peixe batia o pé pela quantia integral: R$ 53 milhões.

Isso porque o DIS, que detém 55%, deverá abrir mão de receber, por enquanto, pela negociação, em documento. Nesse caso, poderia lucrar numa eventual negociação do Tricolor com outro clube. Assim, o São Paulo precisa topar adquirir somente os 45% do Santos por um valor superior ao que estava disposto a pagar. A primeira oferta foi de R$ 23 milhões, e a seguinte, de aproximadamente R$ 30 milhões, ambas pela totalidade dos direitos. Agora, São Paulo e DIS terão de chegar a um acordo sobre como o grupo será beneficiado no futuro.

– Nem adianta o São Paulo apresentar uma proposta se for inferior aos R$ 23,8 milhões. Vão gastar tinta e papel. Esse é o número para o Ganso sair do Santos. O assunto já encheu, é difícil ficar cuidando só disso na vida. Tenho um monte de outras coisas importantes para tratar – afirmou o presidente do Santos, em entrevista à Rádio Globo.

Para que o anúncio seja feito, o acordo precisa ser colocado no papel. O DIS quer ver Ganso no Morumbi e deverá documentar que abre mão de sua parte para novamente não perder dinheiro em uma transação com o Peixe. A empresa entende que teria dificuldades para receber caso o Santos tivesse de repassar o valor, já que brigam na Justiça por situação semelhante envolvendo Wesley, hoje no Palmeiras. Em 2010, o volante foi vendido para o Werder Bremen, e o Peixe não repassou o valor que a empresa entendia ser o correto.O caso ainda está sendo discutido na Justiça.

Nos últimos três dias, uma série de reuniões ocorreu para tentar selar o negócio, que já sofria pressão de todas as partes, principalmente de conselheiros santistas. Até mesmo o lateral-esquerdo Léo cobrou um desfecho, pois a situação estava tumultuando o ambiente do Peixe, e ouviu da diretoria que isso não demoraria a acontecer.

Os dirigentes dos clubes ficaram com a relação estremecida depois das acusações de aliciamento do Tricolor a Ganso feitas por Luis Alvaro, que ameaçou ir à Fifa. Do lado tricolor, o diretor de futebol Adalberto Baptista desmentiu a versão santista de que havia desistido do negócio. O boato, inclusive, deixou Ganso muito irritado. Até em função disso, as conversas finais ficaram entre Santos e DIS. Mesmo sendo inimiga declarada do Peixe, a empresa passou a intermediar o negócio com o São Paulo, por conta do desgaste entre os clubes ao longo da novela.

O mandatário santista também disse estranhar que todas as propostas de aumento salarial tenham sido recusadas por Ganso. A última, feita durante a negociação com o São Paulo, ainda não foi oficialmente respondida, mas o jogador e seus empresários já deixaram claro que não agradou.

Com a negociação quase concluída, resta colocar tudo no papel, e o contrato ser assinado, o que deve ocorrer nos próximos dias. O São Paulo confia plenamente na recuperação física e clínica de Ganso, que tem uma lesão na coxa esquerda e não tem previsão para voltar aos treinos. Nos dois últimos anos, o meia passou por duas cirurgias, uma em cada joelho, e alguns problemas musculares.

Luiz Rosan, fisioterapeuta da seleção brasileira, trabalha no clube, que também consultou o médico da Seleção, José Luiz Runco, e ouviu que o jogador não tem nenhum problema crônico.

No início desta semana, Flamengo e Grêmio demonstraram interesse na contratação do jogador, mas ele afirmou aos representantes que seu desejo era mesmo atuar no time paulista. Caso a contratação seja fechada, ele deverá usar a camisa 8, que pertence ao volante Fabrício, lesionado.

Santos aguarda recusa de Ganso por escrito, enquanto estafe do jogador espera pagamento de multa até amanhã.

10 set

Perrone, BLOG DO PERRONE

O estafe que cuida da carreira de Paulo Henrique Ganso acredita que a novela envolvendo o interesse do São Paulo no atleta termine até amanhã. A expectativa é de que DIS, dona de 55% dos direitos do meia, e o clube do Morumbi entrem num acordo para que o Santos receba os R$ 23,8 milhões referente a 45% da multa rescisória.

Um dos problemas é o fato de o São Paulo achar caro pagar essa quantia para ter uma fatia de 45%. A saída é uma composição entre empresa e clube, que não parece difícil de acontecer. Outra dificuldade é a exigência do Santos de receber em sua conta o valor integral da multa, R$ 53 milhões.

Enquanto São Paulo e DIS preparam a estratégia para tentar tirar o jogador da Vila Belmiro, a diretoria do Santos aguarda uma resposta de Ganso por escrito sobre a última proposta feita a ele para reformar seu contrato.

O jogador já disse que não aceitou a oferta, mas o Santos alega que soube disso pela imprensa e quer a resposta escrita, já que a proposta foi formulada em papel timbrado.

Se assinar uma carta recusando o contrato oferecido pelo alvinegro, Ganso dará à diretoria um documento para ela se defender de possíveis críticas da torcida, caso o craque deixe a Vila Belmiro. Será uma prova do esforço dos dirigentes para mantê-lo.

Guerra sem fim! Ganso e Santos travam queda de braço nos bastidores.

28 ago

Márcio Porto – 28/08/2012 – 09:08 Santos (SP)

ImagemMeia, representantes da DIS e diretoria santista adotam estratégias para concluir interesses. Jogo de empurra alimenta polêmica

A negociação de Paulo Henrique Ganso com o São Paulo gerou uma verdadeira guerra de estratégias entre o jogador, amparado pela DIS, braço esportivo do grupo Sonda, e o Santos.

Dos dois lados, a missão é forçar ao máximo um recuo do “adversário”, transformando em cabo de guerra um imbróglio que já caminhou para ser resolvido amigavelmente. Fato é que nem Ganso quer mais permanecer no Santos, nem o clube quer permanecer com ele.

Do lado do clube, o presidente Luis Alvaro Ribeiro tenta mostrar que o jogador é quem é o culpado da história. Diz ter oferecido o limite salarial pela saúde do clube quando sentou para tentar renovar o vínculo do jogador e sua última cartada foi uma nota oficial lamentando as declarações do meia, de que seria um prazer defender o São Paulo.

Ganso responde dizendo que o mandatário tenta jogá-lo contra a torcida e acusa o Santos de ter mentido quanto aos valores oferecidos, cerca de R$ 420 mil mensais.

– Não sou burro, teria aceitado – afirmou o camisa 10 do Peixe.

Nos bastidores, a DIS procura bombardear Luis Alvaro com os argumentos de que o Peixe é que não tem intenção do cessar fogo, porque quer valorizar a possível venda e deixar claro para a torcida que foi Ganso quem forçou sua saída do clube.

Já o presidente passou a adotar o silêncio depois das últimas investidas. Nesta segunda-feira, procurada pelo LANCENET!, a assessoria de Luis Alvaro disse que ele não se pronunciaria, por não haver fato novo e não alimentar mais qualquer tipo de polêmica.

No discurso da semana passada, o presidente garantiu que só libera Ganso mediante o pagamento da multa rescisória (cerca de R$ 23 milhões), pelos 45% dos direitos econômicos que pertencem ao clube.

A atitude foi encarada pela DIS e pelo São Paulo como outra tacada para tentar fazer o clube do Morumbi elevar o valor. O Tricolor ofereceu R$ 11 milhões pela parte do Peixe e diz que não aumentará.

Amanhã, o Conselho de Gestão voltará a ser reunir e a situação de Ganso será novamente discutida, embora Luis Alvaro diga que o assunto já encheu o saco. O Staff do jogador acha que ainda podem mudar de ideia e aceitarem a oferta.

À noite, a equipe enfrenta o Bahia, na Vila Belmiro, e Ganso deve estar em campo como titular, motivado ou não. Quem puxar mais forte, pode levar a briga.