Tag Archives: CBF

Campanha em horário de serviço, a CBF continua uma bagunça.

24 out

Por Paulinho, Blog do Paulinho.

Para amenizar o constrangimento do apoio dado por Andres Sanches, e outros dirigentes de clubes, à campanha do PT, o delegado Mario Gobbi diz que nada tem a ver com isso, e que o Corinthians não tem candidato.

A grande verdade é que o ex-presidente alvinegro continua utilizando-se do clube como se fosse seu quintal, e, no primeiro turno, por exemplo, posou como representante alvinegro na campanha de diversos candidatos a vereadores.

Pior ainda faz com a CBF, sabe-se lá se com anuência ou não de José Maria Marin, que lhe paga R$ 70 mil mensais para executar um trabalho que nada tem a ver com “cabo eleitoral”.

Estranho também é o silêncio do grupo “Corinthianos Obsessivos”, sustentação do atual presidente Gobbi, que sempre atacou líderes do passado no clube, como Vicente Matheus e Wadih Helu, por levarem, vez por outra, chefes de Estado a visitarem o Parque São Jorge.

Sem dúvida, somados todos os presidentes alvinegros, ninguém fez mais uso político do Corinthians do que Andres Sanches.

Rivellino vê ‘safra horrível’ e critica a CBF.

8 out

Ex-jogador lamentou a qualidade dos atuais jogadores brasileiros e disparou contra a CBF: ‘A Seleção está sendo vendida’

Uma das estrelas da histórica seleção brasileira que conquistou o tricampeonato mundial em 1970, Rivellino está muito frustrado com o time de Mano Menezes – e com a forma como a CBF administra a Seleção. Durante o evento Samsung-Chelsea FC Youth Football Camp, realizado nesta segunda-feira, no Clube Paineiras do Morumby, o ex-jogador lamentou a qualidade atual dos jogadores brasileiros e fez duras críticas aos cartolas.

“A Seleção está desacreditada, não só aqui como no mundo inteiro. Olha a despencada que deu no ranking da Fifa, é o 14º. Infelizmente, a safra é horrível. O Mano não está convocando errado, não tem mais opções. Hoje não sobra ninguém. O torcedor está desacreditado. O time não vem apresentando nada. As vaias não são só para o Neymar, são para geral. O que pode acontecer numa copa se continuar assim?”, disse, ressaltando que a Copa das Confederações de 2013 é uma de suas últimas esperanças para o sucesso da Seleção.

“O Brasil tem dois jogadores diferenciados hoje, o Neymar e o Thiago Silva. Os outros são todos iguais. O Brasil não tem meio de campo formado, que é a parte mais importante de uma equipe. Eles ainda estão se encontrado. Mas tem aí a Copa das Confederações para o Mano montar um time”, acrescentou.

Sobre a CBF, Rivellino disparou contra a marcação dos próximos amistosos da Seleção, diante de Iraque e Japão. Para ele, jogar contra times muito mais fracos não ajuda em nada na preparação para o Mundial. O ex-jogador não quis falar com exatas palavras, mas deu a entender que os dirigentes fazem isso exclusivamente por motivos comerciais.

“Vamos jogar contra o Iraque e o Japão, o que vai somar? A Seleção está sendo vendida, quantos jogos têm na Inglaterra? Alguma coisa tem por trás…”, afirmou.

‘Deviam honrar a camisa’

Toda a exposição e fama que os jogadores possuem hoje em dia, muito diferente do que acontecia nos tempos de Rivellino, também foi alvo de críticas do ex-jogador. Ele lembrou que, em um amistoso contra a Suécia em agosto, os atletas da Seleção desistiram de entrar em campo com a camisa comemorativa que havia sido feita especialmente para aquele jogo, para marcar a despedida do Estádio Rassunda, onde o Brasil conquistou em 1958 seu primeiro título mundial. Na ocasião, os jogadores alegaram que a camisa era muito pesada. Para Rivellino, não se pode ter tanta vaidade assim.

 “Eles deviam honrar uma camisa daquela, a historia começou ali. Não quiseram jogar, atrapalhava… Não marcava os músculos como as camisetas de hoje fazem, podia atrapalhar para arrumar o cabelo…”, ironizou, aos risos.

Rivellino foi uma das estrelas no Samsung-Chelsea FC Youth Football Camp, realizado na manhã desta segunda-feira. Em uma conversa sobre futebol, ele esteve presente ao lado de Muricy Ramalho, Raí, Belletti e Djalminha. O evento começou no sábado e terminou nesta segunda-feira. Meninos e meninas tiveram a oportunidade de treinar com técnicos das divisões de base do Chelsea, como uma espécie de divulgação do clube inglês no Brasil.

Mano Menezes e o Iate de R$ 6 milhões.

30 set

Por Paulinho, BLOG DO PAULINHO.

Todos sabem que, além do salário de treinador da Seleção Brasileira, pouco mais de R$ 300 mil mensais, Mano Menezes recebe “incentivos” de empresários “felizes” pela convocação de seus pupilos.

Tamanha dedicação merece, evidentemente, uma vida luxuosa em seus momentos de lazer.

A de Mano, diríamos, realmente é interessante.

Confira abaixo o luxuoso Iate, fabricado pela Schaefer Yatchs, tratado pela alcunha de “Superiate Schaefer 800”, com capacidade para 23 pessoas, possuindo teto solar, quatro suítes, além de se adaptar à qualquer configuração exigida pelo proprietário.

No Brasil, somente dois milionários o possuem.

O primeiro foi adquirido pelo apresentador Luciano Huck.

Enquanto isso, o segundo maior modelo do fabricante, com 18,6 metros de comprimento, além das benesses já descritas acima, pertence ao treinador Mano Menezes.

Brinquedinho pelo qual pagou, à vista, a bagatela de R$ 5,6 milhões.

“Leitenic”, “Henoudenic”, “Taxinhinic”, “Teixeirenic”, “Shahksternic”, “Ucranenic”…

Não se sabe ainda o nome da embarcação, mas, certamente, as sugestões acima, baseadas em “parceiros” de trabalho,seria uma maneira interessante de render homenagem a quem tanto lhe beneficiou.

CBF e FPF dão presente imoral para Lula, o “chefe” do Mensalão.

30 set

Por Paulinho, BLOG DO PAULINHO.

Sem o menor constrangimento, o presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, em conjunto com o da CBF, José Maria Marin, burlaram o regulamento da Copa do Brasil apenas para fazer um “agrado” ao ex-presidente do Brasil, Lula, o “chefe” do Mensalão.

Colocaram o São Bernardo, equipe gerida pela quadrilha do PT, campeão da 2ª divisão (!!!) de São Paulo, em detrimento de outros da Série A, no próximo torneio nacional.

Primeiro disseram tratar-se de um convite, porém, após perceberem que, segundo o regulamento do torneio somente o critério técnico pode qualificar clubes para a disputa, mudaram o discurso.

Trataram de inventar uma vaga “técnica” para o vencedor da Série B.

Um escândalo.

E, pior, de nada adiantará para os desejos da dupla de “espertalhões”, que espera com o ato não apenas bajular o ex-vendedor de greves, mas que ele os aproxime do Governo, mais especificamente da presidenta Dilma Rousseff.

Missão esta absolutamente impossível, não apenas pela repulsa da mandatária do país às figuras citadas, mas também porque o prestigio de Lula, nesse assunto, praticamente inexiste.

Tanto que por anos tentou fazer a presidenta receber Ricardo Teixeira no Planalto, sem obter o mínimo de sucesso.

A que ponto chegamos!

28 set

Juca Kfouri.

O jornal esportivo brasileiro faz uma primeira página assim!

E com toda razão.

Em defesa dos torcedores.

Porque  os cartolas dos clubes e a dona CBF se lixam para os torcedores.

E, diga-se, Mano Menezes não tem nada com isso.

Tem de fazer o seu trabalho.

Já o chefe dele, José Maria Marin é tão responsável , ou irresponsável, quanto Ricardo Teixeira.

Romário volta a detonar técnico da seleção: “O tal do Mano é uma m…”.

23 set

Como de costume, o deputado federal Romário aproveitou mais uma aparição pública para detornar o técnico Mano Menezes. Em evento realizado no Rio de Janeiro na madrugada deste domingo, o Baixinho pediu a mobilização do público para tirar o comandante da seleção brasileira de seu cargo.

“O tal de Mano (Menezes) é uma merda. Quero ver geral concordando comigo. Vamos mudar isso até a Copa”, disse o ex-jogador e atual político no palco da festa “M.I.S.S.A.”, no centro da capital carioca.

Esta não é a primeira vez na qual o ex-jogador ‘detona’ o técnico da seleção brasileira. Na mais recente delas, Romário chegou a pedir a intervenção da presidente Dilma Roussef na CBF e levantou dúvidas sobre as escolhas de Mano para suas convocações.

“O treinador é frouxo, medroso e não coloca os jogadores que tem que colocar. Quer que eu diga por que? Nem precisa né”, afirmou Romário. Alguns dias antes, o deputado federal usou o termo “cartel de convocações” e insinuou um favorecimento da CBF na negociação do atacante Hulk para o Zenit St. Petersburgo.

As colocações de Romário irritaram Mano e alguns jogadores da seleção. O goleiro Cássio, do Corinthians, foi citado como um dos “favorecidos”. “Se fosse dar bola para todas as noticias que saem [do Romário], não ia dar certo”, disse.

“Técnico sem empresário está fadado ao fim da carreira”, diz colunista.

11 set

Promiscuidade

 *Texto originalmente publicado no caderno Super Esporte do jornal Estado de Minas, em 08/09/2012.

 

“Mais um exemplo de que dentro da Seleção Brasileira está havendo um cartel nas convocações. O Hulk vai para a Olimpíada e, em seguida, é uma das transferências mais caras da história do futebol. Agora, o goleiro Cássio, do Corinthians, que tem seus direitos econômicos ligados a pessoas da CBF, que se já não foi será vendido para a Roma. Quem leva?” Esta acusação foi feita pelo ex-jogador Romário (foto), hoje deputado federal. Senhoras e senhores, o que o Baixinho falou é a pura realidade do futebol. Ele esteve ali por mais de duas décadas e conhece como poucos os meandros e malandragens do esporte bretão. Sempre foi sério em seus negócios e, como representante do povo na Câmara dos Deputados, tem brilhado. Essa promiscuidade entre dirigentes, técnicos e jogadores virou moda neste país da corrupção e do faz de conta.

Hoje em dia, técnico sem empresário está fadado ao fim da carreira. Temos aqui um grande exemplo. Toninho Cerezo, treinador com títulos no Japão e bela campanha no Vitória em 1999, está desempregado. Tem propostas do exterior, mas não quer voltar a trabalhar no Oriente. Sem empresário, ele não faz conchavo com dirigentes e não aceita propina de empresários. Por isso, está sem trabalhar. Em compensação, há denúncias de treinadores que dividem comissões com empresários ao ser contratados por clubes e ficam lhes devendo favores. Acabam sendo obrigados a contratar jogadores que pertencem a esses agentes, e assim a coisa vai caminhando.

Infelizmente, não há documentos que comprovem, pois são transações em dinheiro vivo ou depósitos no exterior. Outro dia, um ex-jogador, que prefere não ter o nome citado, me disse que viu na carreira vários treinadores que dividiam dinheiro com dirigentes e jogadores. Ele viu, não ouviu falar.

Essa convocação de Hulk, inexpressivo atacante, artilheiro em Portugal, onde o futebol é de segunda linha, é bem estranha mesmo. Não conheço a história de Mano Menezes e não posso lhe fazer qualquer acusação, por não ter provas. Lembro-me, porém, que, tão logo foi chamado para técnico da Seleção, jornais cariocas denunciaram que seu empresário, Carlos Leite, tinha vários jogadores por ele convocados. Pode ser coincidência. Talvez naquele momento os jogadores do tal agente vivessem mesmo bom momento.

Hulk acaba de ser negociado com o futebol russo por mirabolantes 60 milhões de euros (cerca de R$ 150 milhões). Senhoras e senhores, pode um jogador incrivelmente comum custar mais do que Zidane, Kaká e Ronaldinho Gaúcho no auge? E por que essa proposta não surgiu antes, uma vez que ele é artilheiro em Portugal há tempos? Para complicar ainda mais, Romário afirma que “os direitos econômicos de Kulk também estão ligados a pessoas da CBF”. Essa acusação é séria e grave. Cabe ao Ministério Público ou a quem de direito investigá-la e prender o tal empregado da entidade. É inadmissível tal tipo de relação.

Mano peca na formação do time – já mostrou que é fraco – e por querer agradar aos torcedores. A Seleção jogou ontem em São Paulo, e ele convocou vários jogadores de clubes paulistas, escalando Lucas de titular. O mesmo Lucas que ele não quis aproveitar entre os 11 na Olimpíada de Londres. A convocação do goleiro corintiano Cássio é outra vergonha. Que currículo tem esse rapaz para ser chamado assim de uma hora para outra? São muitas perguntas sem respostas. Por essas e por outras, o futebol brasileiro está cada vez mais na lama. Tecnicamente, é um fiasco. Fora das quatro linhas, desorganizado e mentiroso.

Há muito a Seleção Brasileira, maior patrimônio esportivo do torcedor, tem sido banalizada por técnicos medíocres. Sou da época em que se comemorava convocação de jogador do nosso clube. Dava status ao clube e dinheiro nenhum ao treinador que o chamava. Hoje, pelo contrário, prejudica o clube, e treinadores ricos fazem convocações absurdas.

A CBF também não é nenhuma entidade benta. Lá, tudo pode. É bem possível e provável que o presidente José Maria Marin, que pensava em demitir Mano, mas foi coagido por um de seus assessores a não fazê-lo, feche os olhos para o que ocorre na casa. A Seleção, a CBF e alguns treinadores deste país são uma vergonha para um povo tão apaixonado pelo futebol. Espero que as autoridades competentes ouçam Romário e tomem as providências necessárias. Precisamos saber quem da entidade é dono dos direitos federativos de Hulk. Isso é uma vergonha.

Mais uma vez, o time azul jogou mal. Levou uma aula de futebol de Seedorf, craque na essência. O torcedor não aguenta mais ouvir desculpas de técnico retranqueiro, sem inspiração e vontade de ganhar – só tem medo de perder.

O Atlético só não venceu o Bahia quarta-feira porque não tinha Ronaldinho Gaúcho. O time baiano é horroroso e os atacantes atleticanos não se cansaram de perder gols. Com o retorno do craque amanhã, as coisas voltarão ao normal.